Música para os olhos - considerações sobre figura e estilo a partir das preceptivas de J. Burmeister e C. Bernhard

Autores/as

  • Cassiano Barros

Palabras clave:

figuras musicais, Joachim Burmeister, estilos musicais, Christoph Bernhard, hypotyposis

Resumen

As poéticas musicais germânicas do século XVII sistematizaram, em seus respectivos tempos e lugares de origem, princípios orientadores da leitura e da produção do repertório musical considerado válido e apropriado para os usos vigentes da música. Dentre os critérios que qualificavam esse repertório, encontramos de forma recorrente a referência a artifícios tendentes a produzir representações vívidas das ideias, de modo que fossem percebidas pelos ouvintes como que colocadas diante dos seus olhos. Tanto Joachim Burmeister (1606) quanto Christoph Bernhard (ca. 1657) dedicaram parte de seus estudos a esses artifícios e formularam prescrições precisas ilustradas com exemplos do repertório corrente, o primeiro em Rostock e o segundo em Dresden. Considerando a relevância de suas ideias para o contexto no qual atuaram, esta comunicação compara os artifícios estilísticos propostos por um e outro para a produção dessa ‘música para os olhos’. Por meio dessa comparação, podemos constatar que aquilo que para Burmeister ocorre como figura, de forma pontual e isolada no repertório, para Bernhard se torna predominante como referencial de um estilo. Finalmente, destaco que, a despeito de lidarem com artifícios e finalidades comuns, representativos do espírito de seu tempo, esses músicos operam com referências e repertórios distintos, que particularizam e dão sentido às suas prescrições.

Descargas

Publicado

2022-01-14

Número

Sección

Dossier