A música nos colégios jesuíticos no início da Idade Moderna e as contribuições de Athanasius Kircher para o desenvolvimento da retórica musical

Autores/as

  • Caio Amadatsu Griman

Palabras clave:

jesuítas, Athanasius Kircher, Musurgia Universalis, educação musical, retórica

Resumen

Ainda que desde seus primeiros anos de atividade a Companhia de Jesus já fosse uma ordem religiosa conhecida por seu grande envolvimento na formação de membros da sociedade civil, a educação musical não foi colocada em posição de destaque dentro do programa pedagógico jesuítico (Ratio Studiorum) e permaneceu - ao menos na Europa - subordinada a outras disciplinas presentes na estrutura de estudo dos colégios jesuíticos, destacadamente à retórica. Apesar disso, a partir do século XVII a música passou a ser considerada parte indispensável das principais apresentações públicas realizadas nos colégios da Companhia de Jesus e diversos escritores jesuítas, como Marin Mersenne (1588-1648) e Athanasius Kircher (1602-1680), passaram a elaborar tratados de prestigio internacional dedicados à música. Este artigo tem como objetivo investigar a postura dos jesuítas em relação à música em suas instituições educacionais no início da Idade Moderna, assim como apresentar algumas das principais contribuições do tratado Musurgia Universalis, sive Ars Magna Consoni et Dissoni de Athanasius Kircher para a música prática e especulativa no ambiente acadêmico jesuítico. Ao focar especificamente na aplicação pioneira de preceitos e procedimentos associados à Ars Rhetorica à composição musical, será possível demonstrar ao leitor a maneira como a música foi abordada pelos estudiosos jesuítas em estreita relação com a retórica.

Descargas

Publicado

2023-12-18

Número

Sección

Documenta