Mudanças e permanências no gosto musical no Teatro do Mercados dos Gansos (1678-1738), em Hamburgo, a partir das óperas com flauta doce obbligato estreadas no teatro

Autores/as

  • Lucia Becker Carpena

Palabras clave:

ópera barroca alemã, flauta doce, Teatro do Mercado dos Gansos, orquestra barroca

Resumen

O presente trabalho é parte de um projeto cujo objetivo principal é detectar mudanças e permanências no repertório do Teatro do Mercado dos Gansos (1678-1738), em Hamburgo, tomando como fonte as óperas com flauta doce obbligato estreadas no teatro. Hamburgo foi um dos epicentros da cena operística alemã e europeia na passagem entre os séculos XVII e XVIII e a flauta doce esteve presente na orquestra durante praticamente todo o período de funcionamento do teatro. Ao longo deste período encontramos 36 óperas estreadas com flauta doce, sendo a primeira de 1694 (Erindo, de Sigismund Kusser) e a última de 1734 (Circe, de Reinhard Keiser).  A escolha pelas óperas estreadas se justifica por elas terem sido escritas especificamente para o teatro de Hamburgo, adequadas ao gosto de seus frequentadores, uma vez que o teatro era público e dependia de receita própria para se manter em funcionamento. Estudar as participações da flauta doce nestas óperas ajuda a compreender as mudanças de gosto ao longo dos sessenta anos de existência do teatro a partir de elementos como tonalidade, métrica, forma, orquestração, contexto das participações e idioma utilizado nos recitativos, árias e coros, apontando características do que poderia ser chamado de “gosto hamburguês”.

Descargas

Publicado

2023-12-18

Número

Sección

Dossier: XIII Encuentro de Investigadores en Poética Musical...